Os Pais de César Augusto da Silva (José Roberto da Silva ou Sylva e Joanna de São João d’ Afonseca)

José Roberto da Silva (ou da Sylva), foi baptisado a 6 de Abril de 1800,na Igreja da Nossa Senhora da Vitoria da paroquia de Sao Nicolau em Lisboa tendo nascido a dois de Fevereiro de 1800. Cavaleiro da Legião da França, nomeado Vice-cônsul dos Estados Unidos da América na Ilha Brava, Cabo Verde, em 17 Nov 1849.


Os pais de José eram João António Freire e Genoveva Ritta da Purificação que se casaram em Lisboa a 30 de Junho de 1796 na paroquia de São Nicolau. Casaram na Igreja da Nossa Senhora da Vitoria  e eram moradores na Rua Bella da Rainha em Lisboa. Quando se casou em 1796, Genoveva (que nasceu em Runa, Torres Vedras) era viuva de Antonio José de Freitas.

Forma padrinhos de casamento de João e Genoveva,  José Roberto Luis Campos e José Ferreira de Abreu que moravam na Rua Nova da Princesa na freguesia de Santa Justa. Note-se que o padrinho de baptismo de José Roberto foi tambem José Roberto Luis Campos.

Os pais de João Antonio Freire eram João Pereira Dias e Josefa Bernarda. Josefa era filha de Gonçalo da Costa Nazareth e de Bernarda Maria da Silva nascida em Penacova , coimbra.

Os pais de Genoveva eram Manuel Luis Campos e Ana Teresa Joaquina.


Certificado de casamento de João Antonio Freire e Genoveva Rita da Purificação:


No jornal francês “Les Débats Politique et Litteraires “ de 4 de Fevereiro de 1848:

 aparece a noticia seguinte:


José casou com Joanna de São João d' Afonseca, filha de Francisco António d' Afonseca e Catarina Pires Correia, a 26 Mar 1827 em São João Baptista, Ilha Brava, Cabo Verde.  Joanna de São João d' Afonseca nasceu em 1803 em Brava, Cabo Verde, faleceu a 29 Mai 1883 em São João Baptista, Ilha Brava, Cabo Verde e foi sepultada a 29 Maio 1883 em São João Baptista, Ilha Brava, Cabo Verde.

Certidão de nascimento de José Roberto da Sylva:


"Em o dia seis de Abril de mil oito centos baptizei e puz os Santos Oleos na Igreja de Nossa Senhora da Vitoria onde ao prezente se acha a Parochia de São Nicolau de Lisboa, a Joze, que nasceu a dois de Fevereiro próximo passado, filho de João Antonio Freire  e de Genoveva Rita da Purificação, moradores na Rua Bella da Rainha, d'esta Freguezia, recebidos na de São Joze, d'esta cidade. Foi Padrinho Joze Roberto Luiz Campos, morador na Rua Nova da Princeza, onde também são moradores os ditos pais do baptizado, e recebidos n'esta Freguezia. Do que fiz este assento e assignei." O Prior Encomend. Francisco Joze de Andrade”


http://digitarq.adlsb.dgarq.gov.pt/#&&i=110&c=viewer&id=3656424



 

José Roberto da Silva, Cavaleiro da Legião da França, nomeado Vice-consul dos Estados Unidos da América na Ilha Brava, Cabo Verde, em 17 Nov 1849.( in Anuário Português, histórico, biográfico e diplomático, por António Valdez, 1855 ).



Teve o exclusivo da pesca da baleia (Portaria ao Procurador Geral da Coroa. Para que informe sobre pedir José Roberto da Silva um exclusivo para a pesca da balea nas costas e mar das Ilhas do Fogo e Brava. e Ilheos do Rombo do Archipelago de Cabo Verde. Abril de 1846)



"Em 1 de Fevereiro de 1850 apresentou a casa comercial Nozolini, de Bissau, representada pela firma Nozolini Junior & C.ª á Junta da Fazenda, uma proposta para lhes ser adjudicados os rendimentos d'aquelle districto, a qual sendo discutida em Junta e aceita pelos proponentes, se lavrou o seguinte contrato.


1ª (...)


17ª Que para o exacto cumprimento d'este contrato elles contratantes renunciam as obrigações que contrahiram pelo anterior contrato, e bem assim a todos os casos furtuitos, solitos e insolitos, cogitado e não cogitado, salvo os de invasão, para o que obrigam sua pessoa e bens havidos e por haver, por seu bastante procurador José Roberto da Silva, e para maior segurança dá por seu fiador ao referido seu procurador José Roberto da Silva, proprietario e negociante estabelecido n'esta ilha. No que a Junta conveio unanimemente, lavrando-se em seguida o presente auto que eu Alexandre José Pinto Tavares, escrivão Deputado interino, fiz exarar e susbcreve para ser autenticamente assignado pelos membros da Junta por quem representa os arrematantes, bem como por seu fiador e testemunhas. =J. A. de Fontes Pereira de Mello, Manuel F. Louzada d'Araujo d'Azevedo, Alexandre José Pinto Tavares, José Roberto da Silva: e como testemunhas José Arnaldo Ferreira e Felix José da Costa."

(...)

"Em Portaria régia de 30 de Julho ordenou-se a terminação do contrato acima mencionado, dando-se d'isso conta ao Governador Geral de Cabo Verde, que por Portaria da Junta da Fazenda de 11 de Outubro mandou que a commissão fiscal de Bissau intimasse a Antonio Joaquim Ferreira, representante da casa comercial Nozolini Junior & C.ª, aquella resolução régia. Este contrato terminou em 2 de Junho de 1851" Subsídios para a História de Cabo Verde e Guiné - Christiano José de Senna Barcellos, Vol. III, págs. 395-400.



José Roberto da Silva e sua esposa D. Joanna de São João e Silva  foram padrinhos de baptismo de Aureliano, nascido a 4 Ago 1849 e baptizado em 19 Maio 1850, filho legitimo de Francisco Rodrigues Aleixo e Juliana das Armas. Nesse registo José Roberto da Silva é referido como sendo Tenente Coronel, Administrador do concelho (da Brava).



PRETENSÃO de José Roberto da Silva, tenente coronel do batalhão de 2ª linha da ilha Brava em Cabo Verde em ser reformado como coronel. Apresentada em 11 Setembro de 1856

Pelos vistos José Roberto da Sylva era possuidor de alguns escravos nomeadamente:               

José:

e Rosa:

e Thomaz:

e Violanta:

e Damiana

e Emilia

Aparece também um António José da Sylva que em 1830 tinha uma escrava de nome Constância:


José Roberto da Sylva teve pelo menos 4 filhos com Joanna de São João, entre os quais Cândida:


E um filho José (nascido em 1828) que parece não ter sido concebido por Joana São João 

Uma homónima de Joana São João teria tido uma filha Maria (filha natural) a 3 de Outubro de 1835. Note-se que o padrinho José António d’Afonseca era irmão de Joanna. Seria uma escrava de Joanna? De qualquer modo não poderia ser uma filha de Joanna pois no mesmo ano a 15 de Abril de 1835 nasceu Cândida da Silva filha de Joanna e de José Roberto da Sylva. Seria esta Joana uma escrava da Joana de São João?

Nos registos de casamento da Ilha Brava, aparece um registo de casamento de Joanna de São João no dia 10 de Junho de 1826, com Manuel António da Sylva Brandão. Supõe-se que Manuel terá falecido rapidamente pois Joanna volta a casar com José Roberto da Sylva em 1827. Curioso também o facto de Manuel e José terem o mesmo nome patronimico “Sylva”.

Casamento com Manuel António da Sylva Brandão:

 Casamento com José Roberto da Sylva

Assento de Casamento de José Roberto da Sylva  filho de João António Freire e Genoveva Rita da Purificação, com Joanna de São João, aos 26 de Março de 1827:

“Em os 26 de Março de mil oito centos, e vinte sete, sendo de tarde nesta Matriz de S. João Baptista da ilha Brava, feitas as diligencias do costume na forma do Sagrado Conc. Trid. não lhe sahindo algum impedimento, nem eu da minha parte o sei, recebi =in facie Ecclesia= a Joze Roberto da Sylva, filho legitimo de João Antonio Freire, e Genoveva Rita da Purificação, naturaes da Cidade de Lisboa, e freguez da freguezia de S. Nicolao, com Joanna de São João, viúva que ficou de Manoel Antonio da Sylva Brandão, forão testemunhas as abaixo assignadas. E para constar fiz este termo, em que me assignei, era ut supra. vigário Luiz Saturnino de Castro.

Jozé das Neves Leitão 

Bernardino de Souza Coelho”


Certidão de óbito de Joanna de São João a 29 de Maio de 1883 com 80 anos de idade:


a© Joao Schwarz Da Silva 2018